Participe de feiras e tenha sucesso…

Sempre recebo perguntas de alunas com a história… Vou participar de uma feira e não sei o que levar? Quanto levo de produto? O que não posso esquecer? Vamos lá tentar responder uma pergunta de cada vez e organizar esta questão para todos entenderem que isso é bem cheio de critérios, que o seu nome esta em jogo e também não podemos continuar vendo estas mesas ultrapassadas nas feiras e pessoas reclamando que o negócio não está bom, ou a melhor, a feira foi fraca! Culpar o movimento! Tem quem prove que se a feira foi fraca, mas ela arrasou na montagem e em todos os pontos importantes, podia não ter ninguém passando mas ela vendeu para todos os expositores.

O que você vai levar a uma feira, bazar ou exposição é decidido por alguns critérios básicos;

1-      Defina o tipo de trabalho que você vai levar ou estilo de linha.
2-      Veja se tem alguma data comemorativa se aproximando e lembre-se que nestas datas bombam as vendas e o brasileiro compra tudo de última hora.
3-      Escolha no máximo 3 linhas para levar. A mistura de tudo que é estilo ou tudo que você tem em casa à venda e gosta acaba poluindo tudo e perde o rótulo de profissional.
4-      Idealize a mesa antes de montá-la. Lembre-se que esta exposição é a mesma coisa que uma vitrine de shopping, então valorize-a e valorize-se.
Vou falar de um exemplo recente e que foi muito útil, acredito eu, para os dois lados. Ao levar os meus produtos para a apresentação e exposição em alguns programas, sempre foco em uma linha e vou confiante. Ao chegar em um estúdio de gravações de uma TV estes dias, eu encontrei uma artesã super carinhosa, com um trabalho incrível, conversei com ela e fui me arrumar, em seguida fiz maquiagem e sentei no sofá da sala VIP para assistí-la. Ela ensinou maravilhosamente bem, dicção perfeita, passo organizadíssimo, mas a mesa onde ela expôs o trabalho pronto, que seria a vitrine, estava com um pouco de tudo, maletas, galinhas, abelhinhas, feitas em materiais e técnicas diferentes. Me perdi alí, na verdade achei um desperdício, todo aquele potencial resultado em uma exposição sem sentido. Sentido tinha, mas não levaria ela a lugares melhores se assim posso dizer. Esperei o programa acabar e fui cheio de dedos falar com ela, usar o meu exemplo de ter mudado o estilo da mesa e tudo ter mudado e falei para ela; se você trouxe o tema galinha da angola hoje, por que não trouxe todas as opções e tipo de materiais feitos com este tema para mostrar tudo que você tem potencial de fazer e ao mesmo tempo deixar a sua mesa fluir mais e te trazer no fim da história muito mais retorno.  Tipo falei! Ela me olhou e disse; eu estava pensando, faço de tudo por que amo mas me sinto perdida! Agora com esta dica eu consigo ver que poderei continuar com tudo,  mas com organização. Sim, são pequenos toques mas fará toda a diferença na vida dela. Exemplifiquei mais para me certificar de que ela entendeu, fiz me prometer que irá montar a próxima mesa o mais perfeito, e se ela puder vir com um avental do tema também, todos irão se apaixonar.

Agora quando falamos de quantidade de produto que iremos levar, é bem importante ou fundamental pensar! De que vale ir a uma feira sem planejamento básico e no fim não saber ao certo se rendeu grana ou não?

1-      Somar todos os custos fixos que esta exposição terá! Aluguel de mesa ou espaço. Comissão para a organização. Compra de qualquer material de decoração (sem incluir produtos). Banner ou outro material de divulgação. Alimentação e transporte. Esta valor será o valor base para os futuros cálculos.
2-      Com o valor base em mãos, agora vamos lembrar que a margem de lucro do nosso trabalho é mínima de 300%, sendo assim farei uma conta simples, vamos pensar que o movimento da feira e a porcentagem de vendas no final será a nossa meta. Imaginando que se a feira for média venderemos 50%, faremos uma conta para então nesse caso pagar todos os custos e não nos dar nenhum prejuízo. A meta mínima será de vender 50%. Pensando que mesmo uma feira boa com bastante movimento ela tem encalhe de produtos que voltamos para casa, então eu daria para este encalhe a porcentagem de 25%. Sobra nesta conta uma parte de 25% dos 100% levado. Concluindo eu divido em 4 partes:

1ª parte; custos fixos –  (valor base)
2ª parte; custo da matéria-prima
3ª parte; lucro líquido – (seu pagamento/gratificação)
4ª parte; suposto encalhe de produtos

Agora vamos lá! O valor dos custos fixos dado aqui o nome de valor base vai ser o mesmo valor de matéria-prima que você irá investir, se você analisar, perceberá que a ida a uma feira terá que gerar 4 vezes o valor base em produtos já que nosso lucro é de 300%. Esta conta acaba sendo redonda e as chances de prejuízo diminuem muito. Lembre-se, este é o começo, a escolha das linhas, todo capricho, a montagem perfeita, a aparência de todos que estão alí trabalhando com você, o atendimento, a embalagem, tudo isso gera o sucesso que você sonha.

Bom, por hoje é só! Vou escrever esta outra parte bem detalhada, com exemplos e faço um novo post para vocês. Falamos aqui de quantidades e da escolha do que levar, são fundamentais.
Boa sorte, muita garra e concentração.

Beijos
Peter Paiva
Designer de sonhos

2 respostas
  1. Suely Ouro
    Suely Ouro says:

    AMOR DA MINHA VIDA. VC NAO TEM NOÇÃO DE COMO ME AJUDOU. VOU PARTICIPAR COM UM MINI ESPAÇO DA FENEARTE, UMA DAS MAIORES FEIRAS DE ARTESANATO DA AMERICA LATINA EM JULHO, SAO 11 DIAS DE EVENTO, E TAVA PERDIDINHA. UM XEIRO E MUITO OBRIGADA

    Responder
  2. Gisele
    Gisele says:

    Já sigo seu conselho Peter Paiva, Loja Virtual Peter Paiva! Aqui na minha cidade existe uma feira chamada Brasil Mostra Brasil. Participo todos os anos!!! Sempre um sucesso e um veículo fantástico de divulgação dos meus produtos!

    Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *